Trio Zargo

Pelos registos conhecidos do século XIX, considera-se que o Machete ou Braguinha era por demais relevante na prática musical do Funchal, estando muito frequentemente presente nas manifestações culturais da época – em salas de espetáculo e serões musicais domésticos.

No presente, com a descoberta de manuscritos de reportórios novecentistas dedicados a este instrumento, com a aplicação deste no Ensino e consequente surgimento de novos executantes e compositores, tem-se recuperado esta prática urbana que se perdera durante cerca de um século.

Este projeto apresenta um repertório centrado no Machete enquanto solista, que abrange práticas do século XIX – que engloba a música em voga na época – e do séc. XXI, com novas composições e adaptações.

TRIO ZARGO, criado em 2015 já se apresentou em concertos no Salão Nobre da C.M. do Funchal a convite da Associação OCM; na capela de São Sebastião – Ponta do Sol, a convite do projeto cultural “Música nas Capelas” organizado pela Artlântico; na Camacha a convite da Tuna de Bandolins desta Casa do Povo no Concerto Tradição Bandolinística; no Auditório do Centro Cívico de Santa Maria Maior nas comemorações dos 80 anos da Fundação INATEL.

Músicos:

  • Mário Freitas | Contrabaixo
  • Roberto Moniz | Viola e Rajão
  • Roberto Moritz | Machete